sábado, 30 de março de 2013

FERNANDO PESSOA - Livro do Desassossego - 47:16


Fernando Pessoa - Livro do Desassossego 

(série Grandes Livros).

O "Livro do Desassossego" de Fernando Pessoa, livro fragmentário assinado pelo semi-heterônimo Bernardo Soares, em documentário completo produzido, realizado e difundido pela Rádio Televisão Portuguesa (RTP2), integrando a série "Grandes Livros" (2009). "Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia sem factos, a minha história sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." ( Bernardo Soares) "O «Livro do Desassossego» resulta da junção de textos avulsos encontrados no espólio de Fernando Pessoa. Bernardo Soares é o autor - embora algumas edições atribuam a co-autoria do livro a Vicente Guedes, um outro "eu" de Pessoa. A organização desses escritos, fragmentados em folhas soltas - muitas delas incluindo as iniciais L. do D. -, deu origem a edições distintas do «Livro do Desassossego», que variam consoante os critérios utilizados pelo editor. A primeira data de 1982 - quase 50 anos após a morte de Pessoa. Alguns autores defendem a publicação - "ideal" - do «Livro do Desassossego» em versão folhas soltas, sem encadernação, o que, segundo os mesmos, permitiria manter a ideia original de Pessoa, deixando a cargo do leitor o encadeamento da leitura.
O «Livro do Desassossego» assemelha-se a um diário, a um blogue. Baseia-se em anotações fruto das vivências, interrogações ou reflexões. Esta característica torna o livro singular, já que não tem uma narrativa definida, com princípio, meio e fim. Esse facto não diminui a obra de Pessoa, antes pelo contrário. Imprime-lhe, reconhecidamente, um fulgor, apenas ao alcance dos grandes mestres da escrita". (in Grandes Livros) Fernando Pessoa: "Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em 1888, em Lisboa. Nove anos da sua infância foram passados em Durban (África do Sul), onde o seu padrasto era cônsul Português - Pessoa perdera o pai, vítima de tuberculose, aos cinco anos.
Aos 17 voltou a Lisboa para ingressar no Curso Superior de Letras. Após o precoce abandono da universidade, passou a ser um assíduo frequentador da Biblioteca Nacional, pois aí tinha acesso a uma vasta variedade de livros e autores, o que lhe permitiu adicionar novos conhecimentos à educação tradicional inglesa, que recebera na África do Sul.
Publicou o seu primeiro ensaio de crítica literária em 1912, o primeiro texto de prosa criativa (um trecho do «Livro do Desassossego») em 1913 e os primeiros poemas em 1914. Pessoa sustentava-se fazendo traduções ocasionais e redigindo cartas em inglês e francês para empresas portuguesas com negócios além-fronteiras.
Em 1920, após a morte do padrasto, a família de Pessoa deixa a África do Sul e regressa a Lisboa. Esteve na fundação de várias revistas, nas quais publicava textos da sua autoria. Porém, só após a sua morte foi reconhecida toda a genialidade da sua escrita.
Ao longo da vida, foi enchendo uma arca com folhas manuscritas e dactilografadas, fruto da sua produção literária. O conteúdo desse báu "sem fundo" - que hoje constitui o Espólio de Pessoa na Biblioteca Nacional de Lisboa - compreende mais de 25 mil folhas com poesia, peças de teatro, contos, filosofia, crítica literária, traduções, teoria linguística, textos políticos, horóscopos e outros textos variados.
Através da sua obra, Pessoa deu vida a inúmeros heterónimos - outros "eus" do poeta - num complexo exercício de criatividade e de génio literário. Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos destacam-se dessa longa lista. O autor do «Livro do Desassossego», Bernardo Soares é considerado um semi--heterónimo, já que está mais próximo da escrita original de Pessoa. A par de Mário de Sá-Carneiro e Almada Negreiros, foi um dos nomes maiores do modernismo literário português". (in Grandes Livros)
"Nós nunca nos realizamos. 
Somos dois abismos - um poço fitando o céu."
"Haja ou não deuses,
 deles somos servos." "Deus é o existirmos 
e isto não ser tudo." "Os críticos podem dizer 
que determinado poema, longamente ritmado, 
não quer, afinal, dizer senão que o dia está bom. 
Mas dizer que o dia está bom é difícil, e o dia bom, ele mesmo, passa.
 Temos pois que conservar o dia bom em memória florida e prolixa, e assim constelar de novas flores ou de novos astros os campos ou os céus da exterioridade vazia e passageira." "A beleza de um corpo nu
 só a sentem as raças vestidas. 
O pudor vale sobretudo para a sensibilidade 
como o obstáculo para a energia." "O perfeito não se manifesta.
 O santo chora, e é humano. Deus está calado.
 Por isso podemos amar o santo mas não podemos amar a Deus." "A consciência da inconsciência da vida 
é o mais antigo imposto à inteligência. 
Há inteligências inconscientes - brilhos do espírito, correntes do entendimento, mistérios e filosofias - que têm o mesmo automatismo que os reflexos corpóreos, que a gestão que o fígado e os rins fazem de suas secreções." "Tudo o que dorme é criança de novo. 
Talvez porque no sono não se possa fazer mal,
 e se não dá conta da vida, o maior criminoso, 
o mais fechado egoísta é sagrado, por uma magia natural,
 enquanto dorme. Entre matar quem dorme e matar uma criança
 não conheço diferença que se sinta." "A maioria pensa com a sensibilidade,
 eu sinto com o pensamento. 
Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. 
Para mim, pensar é viver e sentir
 não é mais que o alimento de pensar." "Quanto mais diferente de mim alguém é,
 mais real me parece, porque menos depende
 da minha subjectividade."
 
Sobre Fernando Pessoa veja ainda: Link do canal YouTube CarlosAlbertoDidier para "A Poesia de Fernando Pessoa": https://www.youtube.com/playlist?list... Link para a "Casa Fernando Pessoa": http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/ Link para o "Instituto de Estudos de Fernando Pessoa": http://arquivopessoa.net/ Link para site "Um Fernando Pessoa": http://www.umfernandopessoa.com/ Link para site argentino que colige e traduz as poesias de Fernando Pessoa: http://www.fpessoa.com.ar/ Link para um canal do YouTube inteiramente dedicado à poesia de Pessoa: http://www.youtube.com/user/odeapessoa Poderá baixar (descarregar) o "Livro do Desassossego" do site "Domínio Público": http://www.dominiopublico.gov.br/pesq...
Lista de reprodução "A Poesia de Fernando Pessoa" 
do canal YouTube CarlosAlbertoDidier.
Fontes:
CITADOR
Carlos Alberto Didier 
Publicado em 11/07/2012 - Licença padrão do YouTube 

sexta-feira, 29 de março de 2013

COLOR MUSIK THEORY

                    




Você recebeu uma mensagem de ColorMusicTheory
Você pode responder a esta mensagem acessando sua caixa de entrada.


To:A TR
Estamos enviando este vídeo para você para informá-lo sobre a nova

formato de música eletrônica em tempo real da folha. Ele utiliza a ciência nova que correlaciona as línguas de cor e som. Esta ciência correlaciona diretamente todas as facetas da cor Whe ... Mais
mais

We are sending this video to you to inform you about new
realtime electronic sheet music format. It uses new science which correlates the languages of color and sound. This science directly correlates every facet of Color Whe... mais




Dave Grusin - Memphis Stomp - Realtime Sheet Music and Synthesia Note Reading Animation 
 POR ColorMusicTheory

Este vídeo é parte do formato de música eletrônica Rockstar folha desenvolvido pela Virtuoso Internacional de Música. Ele fornece partituras autêntica eletrônico que está sincronizado com a gravação original do artista áudio. As partituras eletrônico incorpora a tecnologia de espectro de cor que prevê a capacidade imediata para ler música sem experiência prévia. Cor espectro correlaciona as cores de um círculo de cor análoga empatou aos tons de um círculo musical de 5ths. Saiba mais sobre esta tecnologia revolucionária e nossa metodologia de música abrangente em - 
www.virtuosoism.com



This video is part of the Rockstar electronic sheet music format developed by Virtuoso Music International. It provides authentic electronic sheet music that is synchronized to the artist's original audio recording. The electronic sheet music incorporates Spectrum Color Technology which provides for the immediate ability to read music with no prior experience. Spectrum Color correlates the colors of an equalized analogous color circle to the tones of a musical Circle of 5ths. Learn more about this revolutionary technology and our comprehensive music methodology at www.virtuosoism.com

http://1.bp.blogspot.com/-7vFHbcMqezY/T7kmDXHgnEI/AAAAAAAABao/jJJBqcyxx-0/s1600/@raminhoPicasso..bmp
 Fonte:
 

domingo, 24 de março de 2013

SUZY MAGALHÃES DANÇA E ENCANTA - Sonata n° 2 BEETHOVEN


Cello Sonata No 2   - 27min.

Eu bem quis  postar aqui  a beleza de Suzy ao piano. Maravilha que vou ainda encontrar!  Suzi Magalhães e Thales Rodrigues - Sonata n° 2 Beethoven

Suzi Magalhaes- http://youtu.be/kjrcDv0Oz_8

Sonata op.5 N° 2 de Beethoven pra piano e cello!
 Apresentação que aconteceu na Escola de música de Brasilia , audição de cordas!
 3min.

Suzi Magalhães  dança e encanta!

 
 
000

5MIN.


3min

 
 
3min.

 4min.

 Linda Monah - 5min.


Suzi Magalhaes 
Publicado em 24/03/2013-Licença padrão do YouTube

sexta-feira, 22 de março de 2013

RENASCIMENTO - Leonardo Da Vinci-Mozart - DIA MUNDIAL DA ÁGUA


Renascimento - Leonardo Da Vinci 

Renascimento Cultural 
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTÍFICO

 Durante boa parte da Idade Média, na sociedade européia, as pessoas estavam presas a um status da hierarquia social. Ser-vo ou senhor, vassalo ou suserano, mestre ou aprendiz, a posição de cada pessoa inseria-se numa estrutura rígida e vertica-lizada. Na Idade Moderna, os laços dessa estrutura de dependência e fidelidade romperam-se, abrindo espaço para que o indivíduo pudesse emergir. Os tempos modernos formularam um novo modelo de homem, caracterizado pela ambição, pelo individualismo e pela competitividade. Alguém disposto a empregar suas energias na análise e na transformação do mundo em que vivia.  

Os novos valores Em substituição aos valores dominantes da Idade Média, a mentalidade moderna formulou novos princípios.

 Humanismo - em vez de um mundo centrado em Deus (teocêntrico), era preciso construir um mundo centrado no homem (antropocêntrico), desenvolvendo uma cultura humanista.

  Racionalismo - em vez de explicar o mundo pela fé, era preciso explicá-lo pela razão, desenvolvendo o racionalismo, princi-palmente nas ciências.

  Individualismo - em vez da ênfase no aspecto coletivo e fraternal da cristandade, era preciso reconhecer e respeitar as dife-renças individuais dos homens livres, valorizando o individualismo, diretamente associado ao espírito de competição e à concorrência comercial.

O Renascimento

A cultura renascentista era leiga e humanista, e opunha-se à cultura religiosa e teocêntrica do mundo medieval. O Renascimento enfatizava uma cultura racional e científica, e inspirou-se na Antigüidade Clássica, sobretudo no antropo-centrismo, a fim de resgatar valores que interessavam ao novo mundo urbano-comercial. No conjunto da produção renascentista, começaram a sobressair valores modernos, burgueses. Mas o elemento central do Renascimento foi o humanismo, com a valorização do homem, da vida terrena e da natureza.

Produção cultural urbana

O Renascimento foi um movimento cultural urbano, que atingiu a elite das cidades prósperas. Caracterizou-se não apenas pela mudança na qualidade da obra intelectual, mas também pelo aumento na quantidade da produção cultural. Entre os fatores que influenciaram esse crescimento quantitativo destacam-se:

 Desenvolvimento da imprensa - o alemão Johann Gutenberg (1400-1468) desenvolveu o processo de impressão com tipos móveis de metais, dando-se assim um grande passo para a divulgação da literatura em maior escala. Surgiram vários impres-sores, que, através da publicação de obras, passaram a divulgar os ideais humanistas do Renascimento.  

Ação dos mecenas - homens ricos, conhecidos como mecenas, estimularam e patrocinaram o trabalho de artistas e intelec-tuais renascentistas. Entre os grandes mecenas, encontravam-se banqueiros, monarcas e papas.

Importância do humanismo

O Renascimento não pode ser separado do humanismo (séculos XV e XVI), movimento pelo qual o homem torna-se o centro das preocupações intelectuais. A expressão humanista foi aplicada às pessoas (artistas, clérigos e intelectuais) inconformadas com a cultura medieval. Pes-soas dispostas a construir um novo sistema de valores para uma época marcada pela competição comercial. Otimistas quan-to ao futuro do homem, os humanistas acreditavam na construção de uma sociedade mais feliz, baseada no progresso das ciências e na difusão dos conhecimentos por meio da educação.

Itália: o berço do Renascimento

O Renascimento iniciou-se na península Itálica, espalhando-se, posteriormente, por outras regiões européias. Entre as cida-des italianas onde se desenvolveu o Renascimento, destacam-se Florença, no século XV, Roma e Veneza, no século XVI. 
Muitos fatores colaboraram 
para que o Renascimento começasse na Itália:
Desenvolvimento comercial urbano
Devido ao comércio marítimo pelo Mediterrâneo, as cidades italianas apresentavam significativo desenvolvimento, sendo dirigidas por uma classe de mercadores. Esses mercadores, acumulando riquezas, adquiriram novos valores, como o indivi-dualismo, o espírito de competição, o racionalismo, que se chocavam com os valores medievais. Necessitavam, portanto, de um novo conjunto de idéias coerentes com a ótica capitalista, o que o pensamento renascentista refletia.

RENASCIMENTO ARTÍSTICO

Nas artes, o Renascimento foi marcado por mudanças técnicas e temáticas. Inspirando-se na Antiguidade, os artistas criaram obras em que procuraram alcançar o equilíbrio e a elegância, substituindo a paixão da fé medieval e o espírito rude do feu-dalismo. Para captar a realidade do mundo físico, os pintores aperfeiçoaram a técnica da perspectiva (criando a ilusão de profundidade) e da pintura a óleo (misturando tintas, criavam-se cores vivas e atraentes). Além dos temas religiosos, a arte passou a explorar outros temas, como mitologia, cenas do cotidiano etc. O corpo humano era exaltado na escultura e na pintura. Orgulhosos do seu talento individual, os artistas passaram a assinar suas obras, abandonando a humildade e o anonimato medieval.

RENASCIMENTO CIENTÍFICO

Nas ciências, o Renascimento foi marcado pelo desenvolvimento do espírito crítico, racionalista, disposto a experimentar hipóteses e a examinar livremente os problemas, opondo-se às crenças religiosas baseadas na fé. O cientista deveria submeter o mundo a métodos de análise racionais. Antes de estabelecer crenças e de tirar conclusões, era preciso observar cuidadosamente, investigar, fazer experiências, medir.

 Entre os grandes nomes do Renascimento científico estão:

 Leonardo da Vinci desenhou o primeiro mapa do mundo focalizando a América, enunciou os princípios da máquina a va-por, desenhou a anatomia do corpo humano e projetou diversos engenhos voadores e máquinas de guerra.

  Nicolau Copérnico defendia que o universo era um todo infinito, cujo centro não estava em parte alguma. Afirmava que Deus deveria ser encarado como o princípio inteligente que deu origem ao universo.  

Miguel Servet descobriu o funcionamento da pequena circulação sangüínea. Desobedeceu à proibição medieval de disse-cação de cadáveres. Foi condenado à fogueira, sendo queimado em Genebra.

 Galileu Galilei desenvolveu o telescópio, confirmou a validade da teoria de Copérnico. Foi acusado por um tribunal da Inquisição. Viu-se obrigado a negar suas descobertas científicas.

As mudanças

O Renascimento retirou da Igreja o monopólio da explicação das coisas do mundo. Aos poucos, o método experimental passou a ser o principal meio de se alcançar o saber científico da realidade. A verdade racional precisava ser sempre com-provada na prática, empiricamente.  Fonte: www.dialetico.com  

Mozart

-Flute and Harp 

Concerto in C, K.299 -27:27

[complete]


O Concerto para Flauta, Harpa e Orquestra em C maior, K. 299 é uma peça de Wolfgang Amadeus Mozart para flauta, orquestra e  harpa . É um dos dois únicos verdadeiros concertos duplos que ele escreveu, bem como a única peça de música que Mozart escreveu que contém a harpa. 
 A peça é uma das mais populares tal concerto no repertório, bem como sendo muitas vezes encontrada em gravações dedicados de outro modo para um ou outro dos seus instrumentos existentes. 
 O concerto foi escrito em abril de 1778 por Mozart durante sua estada em Paris para o Tribunal de Guînes. Foi encomendado (embora nunca pago) de Mozart, pelo Duque flautista de Guînes, Adrien-Louis de Bonnières, e sua filha harpista que estava tendo aulas de composição do compositor.  
Os solistas da peça, às vezes, tocam com a orquestra, e em outras vezes atuam como um duo enquanto a orquestra está descansando.
 A flauta e harpa alternam com a melodia e as linhas de acompanhamento. Em algumas passagens, elas também criam contraponto com apenas um ao outro.
 Concertos de Mozart são padrão na forma como eles se movem harmonicamente, bem como que eles adiram à forma em três movimentos de rápido - lento - rápido:
I. AllegroOs estados orquestra tanto temas. O primeiro é imediatamente presente, e o segundo é introduzida pela corneta. Ambos os temas caem sob a forma sonata convencional. O soli então re-trabalhar os temas já presentes.

 II. AndantinoAs frases curtas neste movimento são introduzidas pelas cordas, e tornam-se liricamente estendido. Este desenvolve em variações sobre o tema. A cadência no movimento leva a uma coda, onde a orquestra e soli focar no tema lírico.

 III. Rondeau - AllegroA forma harmônica é: A - B - C - D - C - B - cadência {} - A (coda). Alguns teóricos da música sinto que este é realmente mais de um arco de uma forma rondó típica, porque a música a partir da secção A é ainda audível nas seções C e D. .

 GRÁTIS mp3 e wav de toda a música de Mozart em:. Http://www.mozart-archiv.de/ Pontuações gratuito de partituras de qualquer peça de Mozart em: http://dme.mozarteum.at/DME/nma/start ... TAMBÉM verificar esses sites legais: http://musopen.org/ e http://imslp.org/wiki/ NOTA: Eu não sei quem são os artistas desta são, nem o local e a data da gravação! 
 Todas as sugestões são bem vindas. 
  APROVEITE!! 

Li-Sol-30
 Fontes:
 http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/renascimento-cultural/renascimento-cultural-5.php
  www.dialetico.com


hellguitarmetal